quarta-feira, 1 de junho de 2011

Projeto Tamar- 2010


Projeto Nossas Águas Sempre Limpas
(Tamar)

Objetivos

• Perceber a importância e função principal do Projeto Tamar no Brasil;
• Incentivar os alunos a terem atitudes responsáveis e conscientes, para que se proteja e preserve o meio ambiente;
• Conhecer as tartarugas marinhas existentes no Brasil, saber sobre seus hábitos de vida e sua alimentação;
• Identificar quais tartarugas corre risco de extinção, e por que isso acontece;
• Reconhecer que a ação imprudente do homem provoca a morte de muitas tartarugas marinhas;
• Perceber que a natureza é um bem renovável, mas que precisa ser preservado, para que assim, todos possam utilizar de seus recursos;



O projeto foi embasado no guia do professor: Nossas Águas Sempre Limpas, do projeto Tamar, todas as atividades sugeridas no mesmo foram realizadas, além de outras acrescentadas pela professora.














Atividades

1. Apresentação do Projeto Tamar;

2. Apresentação do regulamento para o concurso: Nossas Águas Sempre Limpas;

3. Leitura do texto: Moradores do Mar e a Poluição. Discussão do assunto apresentado;

4. Leitura do Texto: Tartaruga Marinha. Discussão e interpretação do mesmo.

5. Pintura do desenho da tartaruga marinha;

6. Experiência do detergente e a água. Discussão do que é um produto biodegradável e como ele age na natureza.

7. Experiência do plantio das sementes de feijão e alpiste no algodão;

8. Produção de tabela para acompanhar o desenvolvimento das sementes;

9. Leitura e discussão do texto sobre as cinco tartarugas que vivem no Brasil;

10. Caça-palavras sobre as tartarugas marinhas e os alimentos por ela consumidos;

11. Resolução de problemas matemáticos envolvendo as operações de subtração e multiplicação;

12. Conto: A tartaruga Tamar; produção de livro gigante com desenhos produzidos pelas crianças;

13. Desenho em dupla sobre as tartarugas marinhas;

14. Produção da maquete sobre o mar e a poluição;




Referências Bibliográficas

Guia do professor: Nossas Águas Sempre Limpas.

MACHADO, Ângelo. A Viagem de Tamar: A Tartaruga-verde do mar. Belo Horizonte/MG: Ed. Lê, 1996.

http://ospiti.peacelink.it/zumbi/org/tamar/especie.html
http://4.bp.blogspot.com/_6Mp8VH_3QLM/SFhhNSZoo3I/AAAAAAAAAS4/7Ylj0Ot0Txg/s400/tartaruga+marinha+15.jpg
http://g1.globo.com/Noticias/Mundo/foto/0,,14519013-EX,00.jpg
http://refugioanimal.zip.net/images/Tartaruga_Marinha.jpg
http://www.sacoeumsaco.com.br/blog/wp-content/uploads/2009/11/turtle.jpg
http://www.tartarugas.avph.com.br/jpg/tartarugadepente.jpg
http://www.amigosdomarnaescola.com.br/img/bco/tar_Lepidochelys01.jpg
http://www.aquarionatal.com.br/fotos/Tratamento/tartaruga%20de%20couro.jpg
http://nilson01.files.wordpress.com/2010/06/manguezais-ou-mangues-e-marinhas.jpg
http://www.ubatubapraiagrande.com.br/images/lixonapraia.jpg
http://aurelio.net/viagem/lagoinha-do-leste/lagoinha.jpg
http://genesis.brasilportais.com.br/webroot/img/arquivos/coqueiro.jpg
http://www.ilhacomprida.sp.gov.br/home/imagem/tartaruga.jpg
http://www.vidaativa.com.br/novo/img_links/tamar.JPG
http://fotos.sapo.cv/zbMdBRvjlgI4fFgsf4RC/s320x240
http://fotos.sapo.cv/eHZ7ezJZFnLz0wVmaDYz/s320x240
http://3.bp.blogspot.com/_0XwV1twMr10/SCYzZ0BrAdI/AAAAAAAABo4/xQskOOQd3Js/s400/757977-0786-it2.jpg
http://files.nireblog.com/blogs1/carettas/files/tartaruga-cabecuda.jpg
http://www.ycarai.org.br/Imagens/Iemanj%C3%A1/Figura2.jpg
http://www.oclumencia.com.br/blog/wp-content/uploads/2009/03/tartaruga-feliz.jpg
http://1.bp.blogspot.com/_vhhrpl_v2GQ/SWWvYf4o1nI/AAAAAAAAAoU/RWOPBxQZbNY/s400/TartarugaAsfixiada.jpg
http://www.mergulhobrazil.com.br/mergulho/fotos/eventos/13_167-TARTARUGA+VERDE.jpg
http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/meio-ambiente-projeto-tamar/imagens/projeto-tamar-38.jpg

ANEXOS

1- CAÇA-PALAVRAS:

Procure no caça- palavras as espécies de tartarugas marinhas encontradas no Brasil e os alimentos que retiram do mar:

A T R Q A Z W S X R F V T G B Y H N U T
Z A L G A S I R I S J M N O P L K L C A
S R B F R C S W Z A Q P J U M L O Ç A R
R T E E T R T Y U C I E O C O P E Ç R T
T A R T A R U G A O L I V A R R S P A A
A R Z X R F B M L N K X H M G E P D P R
R U Q A T A F R T C Y E Y A U U O U A U
T G U I A T T G B H B S D R T B N H Ç G
A A E L R Z O A T A O E F O G G J G A A
R D G I U A L Q U S P I F E T T A R D C
U E D P G Q I T J Y P P V S R Y S F E A
G P C C A R A M U J O S C T F H R E M B
A E C O G W K O O W Y O D G W N D C O E
V N V I I S J O P Q T I E B S I E E L Ç
E T B U G D H I L A R Y E H A M E D U U
R E N R A E G U K E E T E N Q O W C S D
D P G E N F F J J E D R R M Ç L Z C C A
E L R W T T D L H F W A T J P K A C O T
Ç A T S E T V P B R Q Q I Y O L Q C S G
Z Q P L A N T A S A Q U A T I C A S G G

2- Resolva os problemas, fazendo a operação e a resposta:

1- Se 10 tartarugas desovarem 120 ovos cada uma, quantos ovos terão sido postos?

2- Tem espécies de tartarugas que põe a cada desova em média 100 a 130 ovos, sendo que destes, apenas 1 ou 2 filhotes chegarão a vida adulta. De acordo com este índice, quantos filhotes chegam a morrer?

3- A tartaruga verde pesa em média 250 quilos e a tartaruga de pente pode pesar em média 150 quilos. Qual a diferença de peso entre elas?









DESENHO DA TARTARUGA MARINHA PRA PINTAR


Espécies de tartarugas encontradas no Brasil
• Tartaruga-cabeçuda
Tem a cabeça proporcionalmente maior que a das outras espécies, chegando a medir 25 centímetros. No Brasil, é a que faz maior número de desovas nas praias do continente e é também chamada de tartaruga mestiça. Seu dorso é marrom e o ventre, amarelado. Seu casco mede aproximadamente um metro e pesa cerca de 150 quilos, embora alguns exemplares cheguem a 250 quilos. Come peixes, camarões, caramujos e algas. Suas mandíbulas poderosas lhe permitem triturar as conchas e carapaças de moluscos e crustáceos. É encontrada em praticamente todo o litoral, para desovar procura preferencialmente as praias do norte do Rio de Janeiro, e especialmente as da Bahia, Espírito Santo e Sergipe. É a que ocorre em maior número no Extremo Sul da Bahia, cerca de 85% dos ninhos são feitos por fêmeas dessa espécie.
• Tartaruga de Pente
Também chamada de tartaruga verdadeira ou legítima, é considerada a mais bonita das tartarugas marinhas. Tem a carapaça formada por escamas marrons e amarelas, sobrepostas como as telhas de um telhado. A boca lembra o formato de um bico de gavião e o casco pode medir até um metro de comprimento e pesar 150 quilos. Tem este nome porque era caçada para que seu casco fosse usado na fabricação de pentes e armações de óculos. Por isso é uma das mais ameaçadas de extinção. Alimenta-se de peixes, caramujos, esponjas e siris. Na forma juvenil ou semi-adulta é encontrada em todo o litoral do Nordeste, mas o litoral norte da Bahia é o único local onde ainda há um número significativo de desovas remanescentes. No extremo sul, a ONG Projeto Amiga Tartaruga registra entre 25 e 38 desovas anuais.
• Tartaruga Gigante ou de Couro
É a maior espécie de tartaruga marinha e também a mais forte. É chamada de tartaruga gigante, por medir até dois metros de comprimento de casco e pesar 700 quilos, embora já tenha sido encontrado um exemplar com 900 quilos. De cor preta, com pontos brancos, tem o casco menos rígido que as outras, parecendo quase um couro - por isso ganhou esse nome. Tem grandes nadadeiras frontais, que lhe permitem nadar longas distâncias. Vive sempre em alto-mar, aproximando-se do litoral apenas para desova. Pouquíssimas fêmeas, em torno de sete, desovam principalmente no litoral do Espírito Santo. No Extremo Sul são avistadas cerca de três desovas da espécie por ano.
• Tartaruga Oliva
É a menor de todas as tartarugas marinhas, medindo cerca de 60 centímetros e pesando em torno de 65 quilos. Sua carapaça é de cor cinza esverdeada, daí o seu nome. Alimenta-se de peixes, moluscos, crustáceos, principalmente camarões, e plantas aquáticas. No litoral de Sergipe existe hoje a maior concentração de fêmeas dessa espécie desovando no Brasil. No Extremo Sul ocorrem com pouca freqüência, apenas 0,7% das desovas.
• Tartaruga Verde
Alimenta-se exclusivamente de algas. Também chamada de aruanã, esta tartaruga tem o casco castanho esverdeado ou acinzentado medindo cerca de 1,20m. Pesa em média 250 quilos, podendo atingir até 350. Sob a forma juvenil pode ser vista, com relativa facilidade, ao longo de todo o litoral brasileiro. Para desovar prefere as ilhas oceânicas, como Fernando de Noronha, em Pernambuco, Atol das Rocas, no Rio Grande do Norte, e Trindade, no Espírito Santo. Curiosamente, a ONG Projeto Amiga Tartaruga registrou uma desova isolada de tartaruga verde no Extremo Sul, o que é extremamente raro



Dobradura da tartaruga














A viagem de Tamar
A tartaruga-verde do Mar
(Ângelo Machado)




Mamãe tartaruga-verde
Chegou na praia ao luar,
Fez um buraco na areia
E começou a botar.

Logo, veio o pescador
Com um balaio na mão,
Carregou todos os ovos
Enterrados lá no chão.

Todos os ovos, menos um,
Esquecido no lugar
E foi dele que nasceu
A tartaruga Tamar.

Linda! Toda verdinha,
Lá estava a Tamar,
Perdida na praia grande,
Procurando se encontrar.

Lá do céu a luz da lua
Refletiu-se sobre o mar,
E Tamar saiu correndo,
Para o espelho do luar.

Foi então que um caranguejo,
De repente, a quis pegar
E Tamar mais que depressa
Se escondeu dentro do mar.

Foi nadando até o fundo
E voltou pra respirar.
Tantas cores, tantos peixes,
Que beleza é o mar!

Toda alegre, a tartaruguinha
começou um passeio pelo fundo do mar,
para conhecer seus habitantes.
Logo encontrou o caranguejo-ermitão:

Que caranguejo engraçado!
Vejam só como ele mora:
O rabo dentro da concha,
Corpo do lado de fora.




Mais adiante, encontrou a estrela-do-mar:
-Bom dia, linda estrela!
Foi lhe dizendo Tamar.
Que bom que você trouxe
O céu pra dentro do mar.

Na entrada de uma caverna submarina,
vejam só quem Tamar encontrou:

O tubarão, minha gente,
Precisa escovar os dentes.

Um dia, Tamar resolveu conhecer o lugar mais fundo do mar.
De repente: Que susto! O polvo-gigante.
Com muito medo, Tamar perguntou-lhe:

-Pra que esses olhos tão grandes?
-São pra melhor te olhar.
-Pra que esses braços tão grandes?
-São para melhor te agarrar.

Mas antes que acontecesse, tinha fugido Tamar.

Voar de peixe-voador,
Isto é que é curtição!
Tamar nas costas do peixe,
Pilotando o avião.

Andar de cavalo-marinho,
Que legal! Vou galopando,
Em vez do cavalo andar,
O cavalo vai nadando.

Brincando dentro do mar,
Cresceu e ficou grandona.
Era uma tartaruguinha,
Virou uma tartarugona.

Tamar ficou grande e sua fome ficou maior ainda.
Já não gostava dos bichinhos que as tartatuguinhas comiam.
Queria comer plantas, muitas plantas, e o mar dali não tinha.
Mas, desde pequenininha, dentro de sua cabeça
havia um mapa que mostrava o caminho de uma ilha cheia de plantas submarinas.
Decidiu então fazer uma viagem até lá.

Na crista de uma onda,
Nadava, nadava,
De noite, de dia,
Nadava, nadava.

No sol, nas estrelas
Do céu se guiava
Em busca da ilha,
Nadava, nadava.


No meio do caminho encontrou a baleia.
-Bom dia, baleia!
-Bom dia, Tamar! Onde você vai assim tão depressa?
-Estou procurando a ilha das plantas submarinas.
Ela ainda está muito longe?
Esguichando água para cima, a baleia respondeu:
-Xiiiiii! Ainda está muito longe.
Mas Tamar não desanimou e continuou nadando.


Afinal, chegou à ilha.
Com seu mar se encantou.
Era lindo e tão gostoso!
Tantas algas, tantas plantas,
Tudo muito saboroso.
Foi aí que ela morou.

Depois de dois anos, Tamar percebeu que estava ficando triste
e procurou sua amiga, a tartatuga-gigante.
-Tartaruga-gigante, você que tem mais de cem anos
e conhece todas as coisas, podem dizer por que estou ficando triste?
A tartaruga-gigante respondeu:
-Você está triste, porque está sozinha.
Já é tempo de arranjar um marido e botar ovos,
para que nasçam muitas tartaruguinhas.
Tamar deu muitas voltas na ilha, procurando um lugar
para botar ovos, mas não encontrou. A ilha só tinha pedras.
Muito desapontada, ela pensou:

Como pode um mar tão lindo
Ter uma ilha assim tão feia!
Onde vou botar meus ovos
Nesta ilha sem areia?

Decidiu, então, viajar de volta à praia dos coqueiros,
onde tinha nascido.

Ao chegar perto da praia,
Num instante ela encontrou
Um noivo bem carinhoso
Com quem logo se casou.

E depois do casamento,
De botar chegou a hora,
O noivo ficou no mar,
A noiva saiu pra fora.


Igualzinho sua mãe,
Chegou na praia ao luar.
Fez buraco na areia,
Começou logo a botar.

De repente, um barulho.
Santo Deus! Mas que horror!
Ela mata e tira os ovos.
Ela é um pescador.

Mas Tamar assustou-se à toa.
O tempo tinha passado e o pescador aprendido que,
se matasse as tartarugas e tirasse os ovos, elas acabariam.
Ele parou, olhou para ela, deu um sorriso e continuou seu caminho.
De seus ovos, lá da praia,
Nasceram tartaruguinhas,
Todas muito bonitinhas,
Foram todas para o mar.

As filhas de Tamar também cresceram
e fizeram a mesma viagem para a ilha das plantas submarinas.
Mas sempre voltavam à praia dos coqueiros,
para botar seus ovos. E como ninguém mais tirava os ovos:
As tartarugas encheram o mar.
E tudo isso,
Por causa de Tamar.

2 comentários:

  1. Os desenhos postados foram desenhados pelos alunos do 3o ano A e B, no ano letivo de 2010. Todos estes foram para as finais do concurso de desenho do Projeto Tamar.

    ResponderExcluir
  2. Oiê. Lembro muito bem de quando você desenvolveu e aplicou este projeto. Foi o melhor que já vi aplicado em uma escola sobre o tema TAMAR. Parabéns.

    ResponderExcluir